the ATENDIMENTO AO COVID-19 NO HOSPITAL E PRONTO SOCORRO, EM MANAUS-AM

Autores

  • Vanessa Rezende Universidade Nilton Lins

Resumo

A pandemia por Covid-19 tornou um dos maiores desafios sanitários em nível global. Com o aumento da doença no mundo torna-se necessário verificar quais os procedimentos adotados nos hospitais para atendimentos dos pacientes graves, estratégias, recursos utilizados e dificuldades nos atendimentos. Esse artigo objetivou mostrar procedimentos de atendimentos ao COVID-19 adotados em um Hospital e Pronto Socorro (HPS), em Manaus-AM. Para isso foi necessário consultar base de dados nacionais e internacionais, como a Medical Literature Analysis (PUBMED/ MEDLINE), Scientific Electronic Library Online (SciELO), protocolo de manejo clínico em hospitais, pesquisa da Web e outros repositórios. Foram descritas informações observacionais de atendimentos em UTI, Ambulatório e Sala de Emergência no HPS, em Manaus-AM. Verificou-se que dos 10 pacientes observados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 70% vieram a óbito. Dos 18 pacientes atendidos em Sala de Emergência, 72,22% foram encaminhados para a UTI, resultando em 27,77% de óbitos. O tratamento utilizado na UTI foi intubação, ventilação mecânica, sedação por propofol, fentanil, atracurio ou rocuronio, midazolam e noradrenalina altas doses. Antibióticos (tazocin), corticoides (metilprednizolona ou dexametazona) e ascultura pulmonar com crepitações difusas. No atendimento ambulatorial foram verificados pacientes com sequelas pós Covid, apresentando cansaço e precisando de reabilitação pulmonar com fisioterapia. Ainda não existe um medicamento e terapia certa para exterminar ou reduzir a gravidade da doença. Torna-se necessário utilizar as ferramentas de combate à doença como os testes, distanciamento físico e uso de máscaras.

Publicado

2021-06-07

Edição

Seção

Artigos - S3I IBCMED 2020