IDENTIDADE LATINO-AMERICANA SOB O VIÉS DE CHE GUEVARA

Autores

  • Bruna Eduarda de Almeida Valença
  • Guilherme Augusto Lemos Fest
  • Luceli Anita Costa Pova Firmino

Palavras-chave:

Che Guevara, identidade latino-americana, identidade

Resumo

Os estudos acerca da América Latina são frutos de luta, de uma conjuntura intelectual e política, portanto é essencial destacar o papel de Ernesto Guevara de La Serna não só sua contribuição para a Revolução cubana como para o desenvolvimento da identidade latino-americana a partir da sua trajetória de vida e de suas viagens de motocicleta no período de 1952 a 1956. A partir da visão de Guevara é possível destacar que a resistência ao invasor externo, invasor este que é um personagem histórico que vai do império espanhol ao império Yanke (Estados Unidos da América). Portanto, a análise e compreensão acerca da identidade latino-americana mostra que o nascer da Revolução é a concretização dessa identidade política, cultural e social. As viagens de Ernesto são uma visão particular de um latino, que marca a trajetória pessoal de um dos líderes da revolução cubana e um dos símbolos dessa identidade latino-americana. La Serna em suas viagens rastreia os resquícios da identidade dos povos latinos visto que a identidade latina durante séculos foi menosprezada, ataca e tida como inferior pelos colonos e pelo império Yanke. Na visão de Ernesto suas viagens são uma maior compreensão do passado, do presente e a possível construção de uma identidade latino-americana descrita pelos próprios latinos, portanto, os povos originários de nossas terras. Ao se reconhecer como latino e conhecer a América latina Guevara traz pra si uma maior valorização ao pensamento anti-imperialista latino-americana da segunda metade do século XX (GALEANO, 2020; SILVA, 2011, BONFIM, 2008). Como o autor Eduardo Galeano diz:” as veias da América Latina ainda estão abertas” tratar a identidade latino americana é fundamental para compreender o processo social e político que nos foi imposto ao longo dos séculos e como a descentralização da perceptiva de identidade é um reflexo da América Latina de hoje (GALEANO, 2020).

Publicado

2021-06-07

Edição

Seção

Artigos