Acute myocardial infarction: occurrence in COVID-19

Autores

  • CLÁUDIO SAMPAIO INÁCIO Universidade Nilton Lins, Manaus/AM, Brasil

Resumo

Desde o surto da pandemia da COVID-19 surgiram vários casos relatados de doenças cardiovasculares, principalmente em pacientes em estados mais graves, com a maior necessidade de ventilação mecânica e com outras complicações da doença do coronavírus. Este estudo objetivou investigar a incidência de infarto agudo do miocárdio na pandemia da COVID-19. Foi realizada pesquisa bibliográfica em base de dados da Medical Literature Analysis (PUBMED/ MEDLINE), Scientific Electronic Library Online (SciELO), e em outros repositórios. Foram evidenciados que a mortalidade de pacientes com COVID-19 por problemas cardiovasculares é alta, tendo como preditores de risco a hipertensão, índice de massa corporal, doenças cardiovasculares, doença pulmonar obstrutiva crônica, níveis de proteína C reativa (PCR), a gravidade da doença, comorbidades subjacentes, a elevação da Troponina I e elevação da proteína C-reativa. Os estudos empíricos mostraram que a incidência do infarto agudo do miocárdio (IAM) é alta entre pacientes com COVID-19, considerando que outros estudos apontaram uma diminuição de registros de IAM na pandemia, em que muitos pacientes ainda são relutantes em buscar atendimento médico, podendo gerar consequências futuras graves.

Publicado

2021-12-01

Edição

Seção

Artigos